Dia do Cinema Brasileiro: não deixe a dor na coluna ser a protagonista da sua história

Confira algumas dicas para ter um roteiro com final feliz

Dia 19 de junho é comemorado o Dia do Cinema Brasileiro. A data foi escolhida para celebrar aquele dia que teria sido realizada as primeiras imagens a partir da tecnologia cinematográfica no Brasil no ano de 1898. De lá pra cá, o cenário cinematográfico ganhou muito destaque em todo o mundo, inclusive, com grande prestígio no Festival de Cannes, o evento de cinema que acontece anualmente na cidade francesa de Cannes.

Aproveitando o gancho de grandes roteiros e torcer sempre para um final feliz, o Dr. Guilherme Rossoni, neurocirurgião e especialista em tratamentos de doenças da coluna traz algumas dicas do dia a dia para que as dores na coluna não sejam protagonistas da sua história.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), dados inéditos de levantamento realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que 27 milhões de adultos no país são acometidos por doença crônica na coluna, dados estes que correspondem a 18,5% da população. Problemas lombares são os mais comuns, com prevalência maior em 21% das mulheres contra 15% dos homens.

Destaque nas telas de cinema, a atriz Priscila Fantin foi vítima de uma grave inflamação na coluna em 2017, que a deixou 45 dias de cama e foi obrigada a pausar compromissos profissionais. “Fui definhando, uma dor que eu nunca tinha sentido na vida. Me fez dar uma paralisada” revela a atriz que já fez muitos filmes brasileiros.

Atividades do dia a dia:

“É muito comum queixas no consultório de pessoas com lombalgia e cervicalgia, ou seja, dor nas costas e no pescoço, relacionados a atividades domésticas devido aos movimentos repetitivos. Por exemplo, o ato de lavar louça faz com que a pessoa fique com o pescoço inclinado para frente, você desloca o seu eixo de equilíbrio forçando e pressionando os elementos anteriores da coluna. Uma dica é, ao invés de ficar inclinada, apoiar um dos pés em um “banquinho” do tamanho de um tijolo, para ficar lateralizada e intercalar de tempos em tempos entre um lado e outro para deslocar o peso do corpo. Varrer ou passar o rodo faz com que você tenha movimentos de torção na coluna. A dica é utilizar vassoura ou rodo com cabos longos para evitar o agachamento e movimentos de torção. Outra coisa que fazemos muito errado no dia a dia é o levantamento de peso. Grande parte das pessoas acaba por deixar as pernas esticadas usando a força dos troncos e dos braços, quando na verdade a forma correta é agachar-se com os joelhos flexionados e usar as forças das pernas para carregar ou levantar o peso.” são as dicas do Dr.

Sono e descanso: melhor colchão e travesseiro para coluna

Uma boa noite de sono e descanso é essencial para qualidade de vida. Portanto, colchão e travesseiro devem ser escolhidos da melhor forma possível evitando dores e desconfortos na coluna.

“Dormir bem é fundamental para a recuperação e saúde da coluna. É o período que nossa musculatura relaxa e quando ela consegue se regenerar dos microtraumas repetitivos submetidos durante o dia. Pensando na qualidade do sono, a postura que dormimos também é muito importante. A posição mais recomendada para quem sofre com problemas de coluna é dormir de barriga pra cima com travesseiro de média altura debaixo do joelho, para que fique levemente flexionado. E um travesseiro de média altura para que ele preencha todo o espaço entre a cabeça, pescoço, ombro e o colchão. Agora se você dorme de lado, que também é recomendado, o ideal é deixar o travesseiro entre as pernas para que os joelhos fiquem levemente fletidos, isso faz com que você diminua a sobrecarga exercida na coluna lombar. Em relação ao colchão mais indicado, existe uma tabela realizada pelo INER (Instituto Nacional de Estudos e Repouso) e também a liberação do INMETRO sobre a densidade do colchão, mostrando o ideal baseado na sua altura e peso. O mais utilizado é o intermediário intitulado D40. Pra quem dorme de lado, o colchão de mola também é uma boa opção. Dentro dessa variedade, o que traz o melhor benefício para o paciente com problema de coluna é o colchão ortopédico, que é o de espuma intercalado com a madeira” afirma Rossoni.

Vale lembrar que o controle dos fatores de risco para problemas e doenças na coluna é essencial:

  • Sedentarismo
  • Obesidade
  • Tabagismo

“A partir do momento que você controla esses fatores de risco você reduz o risco de degeneração da coluna, risco de formar novas hérnias, artrose ou outras doenças degenerativas. Até 95% dos pacientes não vão precisar passar por cirurgia, existem tratamentos conservadores, bloqueio anestésico e, quando necessário, cirurgia minimamente invasiva.” finaliza Dr. Guilherme Rossoni

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *